GUIA: como viajar com seu cão dentro do avião

oliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_

uma aventura e tanto.
e sim, é possível levar o seu pet/cão dentro da cabine do avião! \0/

mroliver_logo_b

pois é… viajar com pets, pra mim nunca foi problema – afinal o Yuri aqui sempre foi comigo dentro do falecido Bigódon, em todos os estados em que já moramos no Brasil.
só que quando decidi vir para Lisboa (ainda não sabe? então vem cá que explico tudo!), a minha primeira questão era, claro, como eu iria fazer para levar esse Bolota comigo?
mroliver_logo_b

aperta o PLAY, separe 18 minutinhos aí e entenda cada detalhe:

 

depois de muita (eu disse MUITA) pesquisa, e muito planejamento, ligações, conversas, conexões, descobri muitas coisas. inclusive algo que ele – o Yuri – já era e eu não havia oficializado – que ele é um cão de serviço, um ESAN – cão de assistência emocional – e que isso permitia alguns privilégios que os outros pets não podem ter.

mas não se desespere! mesmo que o seu não seja, saiba que nesta pesquisa enorme que fiz, encontrei muitas informações úteis para você também fazer sua viagem tranquilamente com o seu. e vou contar tudinho neste post!

 

oliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_aeroporto_SPoliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_esperando

 

1. o seu pet realmente precisa ir?
já começo num momento #polêmico. mas explico.
a gente sabe que levar o pet para onde vamos é maravilhoso. mas temos que ter muito bom senso (de verdade!) em até que ponto isso é o ideal, pois é uma situação de bastante stress e que envolve muitos detalhes. então, nada melhor do que fazer um levantamento de todos os prós e contra para o feito, não é verdade?
no meu caso, era impossível ele não vir – tanto pelo lado terapêutico mesmo, quanto na distância e temporada. vou ficar aqui em Lisboa por pelo menos 2 anos. e o Yuri, pra quem não sabe, é um cão resgatado (ou seja, tem aquela sindromezinha básica do abandono – o que dificulta um pouco mais as coisas). hoje ele está super bem, pois os dois se ajudam <3 então, esta questão era nula pra mim! =P

 

2. documentação obrigatória
independente de seu pet ser ou não um cão de serviço, existem burocracias obrigatórias para cada destino, e não tem como escapar. mas convenhamos, que é muito bom isso, pois garante a saúde de seu bichano e de todos os envolvidos!

como a nossa viagem foi internacional, a burocracia é um pouco mais complexa, mas nada impossível. e existem alguns pulos do gato que me ajudaram MUITO (um salve aos anjinhos dos pets!).

para viagem dentro do Brasil, até onde pesquisei, é necessário fazer um passaporte animal, a microchipagem num veterinário de confiança e as vacinas em dias. basicamente isso.
mas o meu foco era as danadas viagens internacionais, então aprendi tudinho sobre isso, principalmente para a União Européia, que é a mais rígida.

 

oliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_documentos_obrigatorios[para viagens internacionais de ESANs estes são os mais importantes: o relatório médico + o certificado CZI]

 

vamos por partes, de forma simplificada (por favor!):

• microchipagem
isso é obrigatório, pois ele contém todas as informações de seu pet e suas também. melhor coisa do Universo.

• vacina antirrábica + espera
o Brasil ainda tem essa danada chamada raiva ¬¬
então, é necessário uma aplicação nova da vacina, e a espera de 30 dias, até o próximo passo.
e detalhe: ela é aplicada anualmente. você não pode JAMAIS atrasar a reaplicação, pois se não seu bichando é “deportado”.

• sorologia + quarentena
passou os 30 dias? pois bem, agora é a hora da coleta de sangue para os exames e a danada da quarentena – 90 dias de espera dos resultados.
somente a partir deste processo é que você PODE programar a data da viagem. nem adianta correr contra o tempo, tem que fazer com planejamento e bastante sobra de tempo mesmo.

• documentos, procurações + emissão de certificado 
após escolher a data de embarque, ai os últimos papéis e procurações, que dependem da cada país de destino. mas o mais importante – o certificado CZI, emitido na VIGIAGRO que deve ser feito coladinho na data da viagem, pois tem validade (no máximo 10 dias). perdeu o prazo, ferrou! vai ter que começar tudo outra vez.

 

pausa pra respirar.
eu sei, muitas coisas (isso por quê eu resumi). mas é aí que eu resolvo sua vida: existe um serviço maravilhoso que eu testei e usei para isso tudo – contratar um assessor! #poder
é sério gente. nada melhor do que passar a bola pra quem já entende do babado né?
e os valores são super justos! de verdade.
nada vale mais a pena do que a tranquilidade de se ter tudo em mãos, entregue no dia do embarque!

 

oliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_acentooliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_sentado

 

eu contratei o pessoal da DogTravel, lá em SP. procure a amiga Amanda, sério. eles são uns fofos, e fizeram absolutamente tudo: o veterinário foi na minha casa aplicar o microchip e as vacinas. as papeladas todas reunidas por emails, e entregues no dia da viagem no próprio aeroporto <3
só tivemos que sair uma única vez – para ir coletar o sangue, que eles agendaram lindamente o dia e horário e só me avisaram. foram os $$ mais bem gastos para Yuri ter tudo o que ele merece (e eu me concentrar na papelada do consulado que já era bem tensa). #verdadesDaVida

agora, se você é do tipo pão duro mesmo, e quer arriscar fazer tudo sozinho, tem jeito também.
conte com a sorte, tá? já logo aviso, pois tudo pode acontecer (e acontece mesmo!).
mas tem uma turma supimpa que reuniu tudinho em um passo a passo maravilhoso – a dupla Pequenos Monstros que viaja e trabalha com seus dois pets pelo mundo, e fizeram um ebook (pago) com os detalhes. #ficadica
recomendo uma boa lida para ver os outros países e suas recomendações, mas cá entre nós – o pessoal da DogTravel faz pro mundo todo, então evita a fadiga, tá? =P

como não tenho o menor problema, vai aí o custo médio: R$1.300,00 (mas é bom consultar e ver valores atuais.)

 

3. a escolha da companhia aérea
digamos que esta foi a parte mais tensa, mas por quê somos um caso bem atípico: um cão de serviço (ESAN), chow chow, de 25 kilos, dentro do avião.
mas, provamos que é possível, então qualquer cão pode! \0/ #quebrandoTabus #osPrimeirões

para vôos nacionais, de todas as operadoras que conversei, a que melhor me respondeu foi a LATAM, que inclusive também faz vôos internacionais.

para vôos internacionais, a única que encontrei a possibilidade em nosso caso foi a TAP (inicialmente), mas que no final do processo deu pra traz (super compreensível, um dia eu conto) e acabei tendo que escolher outra. e foi aí que o anjinho do Yuri (ele é forte viu!), nos mostrou a United, que recomendo de olhos fechados.
eles foram super fofos com a gente, com carinho e afeto, coisa que eu jamais imaginei acontecer pelo fato *lindo* de viajar com um serzinho desse tamanho todo! #orgulho
até mesmo na ocasião de ter que mudar de lugar para o Yuri ter mais espaço pra dormir (quem nunca?) ele fizeram questão de nos auxiliar (aeromoças lindas!).

a maioria das operadoras nacionais tem políticas bem complexas e duras quanto a pets. já as internacionais são mais humanas e compreensíveis. então é algo muito difícil de ponderar e escolher, e aqui estamos falando do caso dos cães que vão DENTRO DA CABINE, tá?
despachar pets, não posso dizer por quê nunca fiz isso (e nem penso, por favor!).
ainda mais sabendo de dois grandes fatos: Yuri tem 7 anos (é quase um senhor) e está na lista de cães com focinho achatados (braquicefálicos – que basicamente podem ter dificuldades de respiração dentro do avião).

melhor não arriscar né?

 

oliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_peitoral_de_identificacao
[ o peitoral de identificação para facilitar os processos do pet ESAN, e claro, facilitar o seu próprio controle]

 

4. para pets/cães de serviço – ESAN
se o seu pet é como o Yuri, um cão de serviço, a coisa é bastante simples.
como expliquei no post contando o que se trata o tal do ESAN – animal de suporte emocional (leia aqui) – , basicamente você pode levar qualquer tipo de cão dentro do avião, indiferente de peso, cor ou raça.
você precisa apresentar um relatório médico / carta oficial do profissional de saúde que declara que você sofre de uma doença mental e prescreve o animal como parte do tratamento. nota: esta carta tem validade de 1 ano.

como eu faço terapia e tratamento a anos de depressão, e agora ele é meu terapeuta oficial (#amorDefine), esta parte foi relativamente fácil.
e para facilitar sua vidinha linda, vou deixar o modelo da carta ESAN para baixar, que eu fiz (em português) aqui embaixo nos botões. se alguém precisar dela em inglês, me avisa!

 

OLIVERTHI-modelo-carta-esan

 

nota importante: bom senso, ok? seu pet precisa ser calmo, tranquilo, mesmo sendo grande. o treinamento de obediência é recomendado, e a identificação complemente necessária, como explico no post. e sempre, SEMPRE ao seu lado (eu amarrei a guia na minha cintura!).

nota importante 2: nem todas as operadoras aceitam este tipo de situação, pois existem casos e casos. de qualquer forma, é necessário se informar com elas antes da compra das passagens.
agora relato o que eu fiz: a TAP aceita, porém limita o peso do cão – 8 kilos, o que nos impediu de ir.
já a United, lindamente nos aceitou sem problemas. #viva
então, é só ligar para eles, entras nos sites, e perguntar, se informar, detalhar seu caso e torcer!

nota importante 3: nesta categoria (ESAN) você não paga nada além da sua própria passagem. e não precisa de casinha específica – o que mostra a importância da identificação do pet e seus devidos cuidados – guia, peitoral, etc.
no meu caso, era impossível ter uma casinha pro Yuri #risos. mas em casos de pets menores, nada impede. mas aí o bom senso deve vir novamente: menos constrangimento e incômodo para os demais passageiros, né? se o seu cão é muito grande, lembre-se que o espaço da sua poltrona é limitado, ou seja, é lá que ele vai ficar, nos seus pés. nem pensar no corredor.
então, talvez valha a pena comprar até outro acento para ter mais espaço pra ele.
eu escolhi fazer o meio termo (equilíbrio sempre!): peguei os acentos econômicos PLUS, que tem mais espaços entre as poltronas, e tomei o cuidado de escolher sempre a primeira fileira, para garantir ainda mais espaço. e deu tudo certo. Bolota, se esparramou lá e dormiu lindamente as viagens todas (SP para NY e NY para PT).

nota importante 4: leve tapetes higiênicos para, se for o caso, de conexões (como foi o nosso caso), alimento seco (ração) e água. e potinhos. e petiscos. e amor <3
na hora do “subir” e “descer” do avião, dê mais petiscos, para inibir o barulho alto e eles ficarem calmos.

nota importante 5: isso tudo é necessário para qualquer viagem para a União Européia. se voltar para o país de origem, é necessário fazer tudo outra vez! #eita

nota importante 6: VISTO – se for passar nos E.U.A., mesmo que nem saia do aeroporto, é necessário / obrigatório o visto americano (de turista ou um especial de trânsito, que é quase a mesma coisa, inclusive na burocracia para tirá-lo). por sorte, eu já tinha o meu, emitido em 2012. então, CUIDADO! para não comprar as passagens com conexão por lá, e não ter este “lindo”.

 

5. para pets/cães normais
se o seu pet não é um cão de serviço, também é possível. mas é algo que precisa de mais esclarecimentos, e novamente falo, questionar, perguntar e se informar com as operadoras. mas a burocracia e documentos são os mesmos!
até onde entendi, tudo depende do tipo/tamanho/peso do cão.

então, não tem jeito, tem que ir vendo operadora por operadora, mas olhe com carinho pra LATAM #ficadica.
e cada operadora tem um valor específico (sim é pago!).

 

6. antes de chegar no país de destino
você deve informar ao aeroporto que você está chegando.
em Portugal, você manda um email e agenda o dia e horário (o mesmo do desembarque) com o serviço de Vigilância Sanitária/Veterinária local.
isso aqui foi pago, ok? (cerca de €20)
como eu contratei o pessoal da DogTravel, eles fizeram isso também pra mim <3

 

7. depois de chegar no país de destino
antes de comemorar o feito, a primeira coisa (mas sem crise, ok?) é ir a um veterinário, para emitir o Passaporte de Animal de Companhia, que é a segunda cidadania do bichano #chique.
custo: cerca de €20 também + o valor da consulta.
e que garante a livre passagem deles por todos os lugares!
aqui em Portugal, fizemos também uma licença na Junta da Freguesia do bairro onde moramos (que é como se fosse uma subprefeitura), que deve ser renovada todo ano, para garantir que seu animalzinho é um cidadão registrado!
e também teve um custo de cerca de €20, anualmente.
ambos os casos, eu precisei tirar o NIF (uma espécie de CPF aqui, pois eu estou morando… mas papo pra outro post!).

 

oliverthi_guia_como_viajar_com_seu_cao_ESAN_dentro_do_aviao_passaporte_europeu[para a União Européia a carteirinha de vacinação será substituída pelo Passaporte de Animal de Companhia]

 

ufa!
acho que consegui pontuar tudinho!
a minha intensão aqui é somente te mostrar que sim, é possível viajar com seu pet/cão, mesmo internacionalmente e dentro do avião. mas que existem casos e casos, e o nosso – algo relativamente novo no Brasil – foi possível mesmo com todas as questões atípicas.

isso só mostra que este nicho existe, e que se mais e mais pessoas fizerem e colocarem seus direitos em prática, mais e mais leis que apoiam este tipo de atitude passam a existir, e a favorecer muitas pessoas.

atualmente, como disse também no post que explico o que é um ESAN – um animal de assistência emocional, existe apenas uma lei que apoia este tipo de pet lá nos E.U.A., mas que deve se expandir para o mundo todo, não é mesmo?
sem contar os benefícios que este tipo de situação traz para as pessoas com os casos relatados de crises de pânico, ansiedade e etc ao entrar no avião. essa, sem dúvida é a melhor das soluções.

e mais uma vez, eu reforço: ter um cão de assistência emocional não quer dizer que você não precise de um tratamento com um profissional de saúde, ou que você está curado a partir de então.
ele será peça fundamental para a evolução positiva da doença, diminuição de sintomas e até mesmo para sua cura <3

e quanto mais pessoas souberem deste tipo de informação, mais pessoas felizes existiram no mundo!

 

oliverthi_padrao_descobrimento_FACE[a felicidade de ver esse sorrisão, e a tranquilidade de seu pet-filho valem toda a dedicação ao planejamento!]

 

alguns links importantes:

DogTravel
serviço de assessoria para viagens de pets/cães nacionais e internacionais

Loja Canina
onde mandei fazer sob encomenda o peitoral do Yuri com as identificações (nome e nomenclatura ESAN).

Crachá de identificação
infelizmente não há nenhum órgão que regularize os ESANs no Brasil. então, improvisei por conta própria um (afinal sou ecodesigner!) para garantir mais segurança, com os principais dados. se precisar, fala comigo!

PetLove
onde comprei o bebedouro de água dobrável e comedouro portátil e de pano (eu não gosto de plástico, e não, eu não costuro absolutamente tudo! rs)

United
operadora de avião que nos levou do Brasil a Portugal, com escala em Nova York e informações sobre ESAN

Modelo de carta/relatório médico ESAN
em português

Pequenos Monstros
ebook de como viajar com seu pet para qualquer lugar do mundo (passo a passo)

 

com carinho,
oliverthi_

oliverthi_oculos_BK

quer receber cartinhas virtuais de surpresa?

então, manda bala!
e relaxa, eu não vou lotar sua caixa de e-mails ¬¬

seu nome

seu e-mail

comente a vontade :D

pessoas falando <3